Avançar para o conteúdo principal

Dentro de um todo já inabarcável

Platão diz ou faz dizer ao seu Sócrates que talvez o médico devesse conhecer não apenas a natureza da alma, mas também a natureza do todo, se quer realmente tratar a deficiência, o sofrimento, a doença do paciente. Ouvimos e também sabemos, por experiência milenária, em que medida esta tarefa se transformou numa arte particularmente difícil em consequências das necessidades e dos progressos do nosso poder e do nosso saber. A marcha da história obrigou, não apenas o doente e o médico, mas a todos nós a submeter-nos cada vez mais à lei da divisão do trabalho -- o que reduziu a nossa própria contribuição a uma simples função dentro de um todo já inabarcável. E assim ser médico é, um certo sentido, uma profissão simbólica, pois a sua tarefa não é um 'fazer', mas a prestação de uma ajuda que facilita o ser vivo o seu regresso à saúde e à vida. O médico nunca pode ter a completa ilusão de possuir o poder e o fazer. Sabe que, no melhor dos casos, o seu êxito não é devido a si mesmo nem ao seu poder, mas à natureza. Tal é, efectivamente, a situação singular da medicina.

Hans-Georg Gadamer


Mensagens populares deste blogue

Factores de Risco

“A transição económica, a urbanização, a industrialização e a globalização causam mudanças no estilo de vida que favorecem o surgimento de doenças cardíacas .../.... A falta de exercícios e uma dieta inadequada [estão] entre os principais factores de risco." Associação Americana do Coração in Estatísticas Internacionais de Doenças Cardiovasculares

Um grão de areia

"Para ter a ideia da pequenez do átomo comparado com um objecto macroscópico, imaginemos que podemos ver os átomos numa mesa de cozinha, e que cada átomo é do tamanho de um grão de areia. Nesta escala de ampliação, a mesa terá então 3500 quilómetros de comprimento." Robert Jastrow, Red Giants and White Dwarfs (em Port. A arquitectura do Universo, Edições 70)