Avançar para o conteúdo principal

Flauta de bambu

“Um indígena africano toca uma melodia em sua flauta de bambu. O músico europeu terá muito trabalho para imitar fielmente a melodia exótica, mas quando ele consegue enfim determinar as alturas dos sons, ele está certo de ter reproduzido fielmente a peça de música africana. Mas o indígena não está de acordo pois o europeu não prestou atenção suficiente ao timbre dos sons. Então o indígena toca a mesma ária em outra flauta. O europeu pensa que se trata de uma outra melodia, porque as alturas dos sons mudaram completamente em razão da construção do outro instrumento, mas o indígena jura que é a mesma ária. A diferença provém de que o mais importante para o indígena é o timbre, enquanto que para o europeu é a altura do som. O importante em música não é o dado natural, não são os sons tais como são realizados, mas como são intencionados. O indígena e o europeu ouvem o mesmo som, mas ele tem um valor totalmente diferente para cada um, porque as concepções derivam de dois sistemas musicais inteiramente diferentes; o som em música funciona como elemento de um sistema. As realizações podem ser múltiplas, o acústico pode determiná-las exactamente, mas o essencial em música é que a peça possa ser reconhecida como idêntica.

Jean-Jacques Nattiez,

Fondements d’une sémiologie de la musique, 1976

[cita uma história relatada por Roman Jakobson numa conferência de G. Becking pronunciada em 1932 no Círculo Linguístico de Praga]


Mensagens populares deste blogue

Factores de Risco

“A transição económica, a urbanização, a industrialização e a globalização causam mudanças no estilo de vida que favorecem o surgimento de doenças cardíacas .../.... A falta de exercícios e uma dieta inadequada [estão] entre os principais factores de risco." Associação Americana do Coração in Estatísticas Internacionais de Doenças Cardiovasculares

Um grão de areia

"Para ter a ideia da pequenez do átomo comparado com um objecto macroscópico, imaginemos que podemos ver os átomos numa mesa de cozinha, e que cada átomo é do tamanho de um grão de areia. Nesta escala de ampliação, a mesa terá então 3500 quilómetros de comprimento." Robert Jastrow, Red Giants and White Dwarfs (em Port. A arquitectura do Universo, Edições 70)